Como Economizar em Tempos de Crise

por | 7 de Janeiro de 2016

Por conta do aumento dos preços dos produtos e das tarifas de água, energia, transporte, aluguel, sem falar dos combustíveis, os economistas estão prevendo que a inflação em 2015 vai superar a meta do governo, que é de 6,5%. Com isso, você e milhões de brasileiros tem apenas um pensamento: preocupado com a situação.

A situação econômica tem trazido dificuldades e incertezas para o consumidor, mas saiba que você pode controlar sua vida financeira e conseguir assim a diminuir os efeitos da inflação e recessão. Está se perguntado como? Simples, com dicas que ajudam a economizar em tempos de crises.

É possível sim diminuir os gastos! Mas faça da maneira correta.

O consumidor está cortando gastos, sai em busca de promoções e diminui a lista de compras para ficar só no essencial. Porém, com pressões de todos os lados, os brasileiros economizam de maneira errada. Ao pensar que podem economizar naquilo que pode ser reduzido, algumas pessoas erram na hora de colocar tudo em prática.

Pensando nesse motivo, vamos dar aqui algumas dicas que podem ajudar na Confira as dicas de como economizar em tempos de crisehora de decidir. Mas preste atenção, as escolhas são individuais e as prioridades variam conforme o tamanho da família, a idade, o sexo e o local onde se mora. Para muitos, esses fatores podem não apresentar resultados, mas é aqui a questão das falhas.

Vejamos Como economizar em tempos de crise

Despesas fixas: água, energia e telefone

O que o brasileiro gasta com energia e água é um absurdo. Para evitar sérios problemas na crise, o jeito é mudar a rotina. Por exemplo, o uso da maquina de lavar roupas deve ser regrado, onde o individuo deve evitar ligá-la todos os dias. Outro detalhe é quanto às roupas que podem ser usadas mais de uma vez. Lave-as só quando houver necessidade.

Os banhos podem ser mais rápidos. Sim, podem sim! Um banho de 10 a 15 minutos é suficiente para lavar o corpo e o cabelo. Pensando em passar as roupas? Reduza o uso do ferro elétrico. Passe apenas o que for realmente importante. Não gaste energia passando a ferro panos de prato, lençóis e toalhas.

A conta do seu telefone está um absurdo? A saída é diminuir o uso do celular. Não pode ficar sem o aparelho? Procure planos mensais mais baratos e que dão descontos. Pode optar também por planos que não cobram taxas para você falar com familiares que utilizam a mesma operadora.

Custo com Supermercado e Lazer

Nós sabemos que os alimentos são essenciais para a nossa vida, mas há extras que podem ser cortados. Para não entrar em crise com a crise, pense no que você poderia viver sem, como chocolates, biscoitos, enlatados e doces. Troque esses alimentos pelo iogurte, pois é bom para o funcionamento do organismo e para a reposição de cálcio nos ossos.

Quanto ao lazer, é possível reduzir o número de saídas e optar por programas agradáveis e que não comprometam o orçamento. Uma ótima dica é marcar o happy hour com os amigos em casa, em vez de irem a um bar ou restaurante. Evite idas ao shopping para passear. A tentação das vitrines é grande, melhor evitar.

Despesas com objetos de desejo

A dica que todo profissional especializado no assunto dispara é evitar as compras por impulso. Sapatos e roupas? Deixe para o mês que vem. Isso porque em um mês você terá tempo para refletir e analisar sua vontade. Muitos brasileiros mudam de opinião em 30 dias. Que tal tentar a sorte?

É importante pensar em casa, longe da loja e do vendedor. Se for realmente necessário, volte outro dia para comprar. Para finalizar e não entrar na crise de 2015 faça uma planilha com seu orçamento financeiro. Apesar de difícil, esse procedimento é essencial para sua vida não virar um caos. Acompanhe seus gastos!

Quem acompanha os gastos através da planilha de orçamento consegue fazer uma lista com as dívidas. Procure fazer o mesmo! Liste suas dívidas e anote o prazo previsto para acabarem. Os especialistas no assunto dizem que a melhor saída para fugir da crise é seguir o cronograma para quitar primeiramente as que cobram mais juros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *