Dicas de Economia Doméstica

por | 15 de Janeiro de 2016

Orçamento doméstico

A economia doméstica trata da administração das contas familiares e do lar. A seguir, estão listadas algumas dicas úteis de boas práticas para a economia doméstica.

O orçamento doméstico é um instrumento importante na economia doméstica. O orçamento doméstico retrata as receitas e gastos da família. A apuração dos gastos, porém, deve ser complementada com o planejamento e controle financeiro.

Planejamento e controle financeiro

Com o planejamento, as prioridades são eleitas e as metas são estabelecidas. O controle financeiro cuida do fluxo de caixa e demais aspectos necessários para cumprimento das metas estabelecidas pelo planejamento.

Planejar antecipadamente os gastos é uma ação proeminente para se evitar ter um gasto total que sobreponha às receitas. Além de ser muito útil para tentar se evitar o saldo negativo no fechamento do mês, o planejamento financeiro também procura evitar o colapso da economia doméstica no longo prazo. Isso inclui prevenir dívidas desnecessárias e  analisar muito bem o risco de compras que tomariam parte significativa do orçamento.

Por exemplo, seria o caso do automóvel, cuja compra pode representar uma armadilha financeira. O economista Luís Carlos Ewald não indica o financiamento e cita ainda que o automóvel acompanha diversos gastos como estacionamento, seguro, multa, manutenção e combustível, além da forte depreciação. Segundo ele, em vez de todos esses gastos e o valor perdido da depreciação, o capital poderia estar investido.

Poupar e investir meio de construir fundo de reserva emergencial

Poupar dinheiro para uma emergencial

Poupar para investir é um meio de construir um fundo de reserva emergencial 

Poupar é relevante para se construir uma reserva de emergência, e para se investir. Porém, segundo o contabilista e educador financeiro Ricardo Pereira, a reserva de emergência não pode ser confundida com investimentos.

Segundo Ricardo Pereira, a reserva serve para garantir a manutenção do padrão econômico familiar em casos de urgência, como um alto gasto imprevisto, ou a interrupção de uma receita crucial, como a remuneração profissional ou a renda de imóvel locado. Ricardo Pereira acredita que a reserva de emergência ideal deva ser equivalente a, pelo menos, dez meses de renda. Sua sugestão é que o dinheiro da reserva de emergência fique em uma aplicação financeira de baixo risco, que também permita o resgate de valores a qualquer momento, como a caderneta de poupança.

Sobre investimentos, Luís Carlos Ewald recomenda que se reserve regularmente, ao menos, 10% das receitas mensais. O economista enfatiza que essa parcela deve ser investida mensalmente com disciplina.

Uma ideia sobre “Dicas de Economia Doméstica

  1. J.Z. MAGAZINE

    Poupar sim, e se for planejar abrir um negócio, ou mesmo investir num negócio, buscar economizar. Buscar produtos mais acessiveis e que tenham uma saida fácil em termos de mercado. O chamado bom e barato. Porque o que se vê muitas vezes é esse tipo de propaganda do barato, mas na realidade se faz o oposto, haja vista a quantidade de sites e lojas e etc principalmente pela internet que colocam os preços lá nas alturas. Então, tem que ser observado essas coisas também. O investir no chamado bom e barato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *