A Educação Financeira: Porque é Tão Importante?

por | 6 de Janeiro de 2016

O único objetivo da Educação Financeira não é somente ensinar a economizar dinheiro, cortar gastos, poupar e acumular dinheiro. Segundo especialistas no assunto, a educação financeira é muito mais que isso.

Com o intuito de melhorar a qualidade de vida tanto hoje quanto no futuro, a educação financeira procura oferecer uma segurança material, que ajuda a aproveitar os prazeres da vida e ao mesmo tempo certifica garantia para eventuais imprevistos.

A importância de se educar financeiramente é essencial, pois é dessa maneira que evitaremos chegar ao futuro endividado. E essa questão deve ser levada muito a sério, principalmente pelos jovens do nosso país.

Educação financeira para jovens

É de conhecimento de todos que os jovens brasileiros são a esperança de um país mais justo, equilibrado e sustentável. Porém, a esperança do Brasil está trilhando um caminhar diferente, deixando para trás a realidade que tanto sonhamos.

De acordo com dados da Serasa Experian, grande parte dos cidadãos entre 15 e 24 anos possuem dívidas, onde as principais causas são bens que todo brasileiro sonha em ter em mãos.

Entre tantos bens, o celular e o carro ocupam a primeira colocação na lista que levam o consumidor jovem ao endividamento. Mas porque esse público chega a essa situação tão cedo? Sem sombras de dúvidas, a falta de educação financeira é a resposta.

Porque é importante ter educação financeira?

A educação financeira surge como uma ferramenta para orientar a tomada de decisões, onde serve também para informar diversos pontos sobre os serviços financeiros oferecidos. As necessidades de poupança, financiamento e juros, investimentos e rendimentos e os desejos de consumo podem ser controlados pela educação financeira, que em conjunto de informações auxilia as pessoas a lidarem com a sua renda.

Nas palavras dos profissionais, educação financeira deve ser vista como um conjunto de hábitos financeiros saudáveis que contribuam para melhorar a situação, o proveito e as perspectivas financeiras dos brasileiros.

educacao-fianceira

Educação financeira vs Hábitos e costumes

Para muitos, basta mudar o comportamento com que se lida com o dinheiro que tudo se resolve. Mas não é bem assim! Quem deseja realizar sonhos materiais necessita de uma educação financeira, para aprender a utilizar o dinheiro que entra e o que sai.

Apostar em planilhas, na matemática e em cálculos para administrar seu dinheiro, é claro, que tem suas vantagens. Só que viver dependendo dessas ferramentas não é o aconselhado, pois um pequeno erro pode proporcionar grandes prejuízos.

É essencial entender que apenas estas ferramentas não mudam o comportamento de uma pessoa, é preciso focar nos hábitos e costumes. O processo de educação financeira deve ser contínuo, já que o ritmo em que as transformações ocorrem no mundo atual é rápido.

De acordo com especialistas, cada indivíduo deve tratar esse procedimento como um processo interminável, colocando a educação financeira em cena a todo o momento, pois essa ferramenta irá envolver toda uma vida.

Um cidadão informado pode tomar decisões informadas, como a gestão do orçamento mensal, o pagamento antecipado de contas, o planejamento de despesas. Além disso, esse cidadão aprende a selecionar produtos e serviços financeiros adequados às suas necessidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *